Certificados disponíveis.
Clique para acessar a área de impressão!


Trabalhos Científicos




1. INSTRUÇÕES GERAIS

  • A única forma de submissão de trabalhos é on line.
  • Se você ainda não se inscreveu, clique aqui para preencher o formulário de inscrição; Se você já se registrou, utilize seu login e senha para acessar sua área restrita e enviar o seu trabalho no menu Meus Trabalhos até o dia 10/07/2023 
  • Os resumos devem conter entre 2000 e 2500 caracteres contando os espaços.
  • Serão aceitos no máximo 3 (três) trabalhos por autor principal. Não há limites para trabalhos em coautoria.
  • O autor responsável pela apresentação do trabalho deverá necessariamente inscrever-se no Simpósio.
  • Será emitido apenas um certificado por trabalho, e nele constará os nomes de todos os autores e coautores.
  • O autor deverá inscrever seu(s) resumo(s) em um dos temas apresentados no temário.
  • O autor deverá escolher qual das duas categorias é mais adequada para o seu resumo: relato de experiência ou trabalho científico.
  • Para o 9º Simbravisa, os trabalhos científicos são aqueles resumos que se orientam por uma pergunta ou hipótese, que têm um método científico explicitado e que descrevem os resultados criticamente em cotejo com a literatura. Os relatos de experiência se referem a uma intervenção, processo ou atividade desenvolvida em espaços de atuação da Vigilância Sanitária, incluindo os Laboratórios de Saúde Pública. O autor deve relatar o objeto da experiência, o contexto no qual ocorreu, a descrição da execução (incluindo período de realização, local e sujeitos envolvidos) e análise crítica dos resultados.


2. APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS APROVADOS

  • Como nas edições anteriores, todos os trabalhos aprovados para o 9º Simbravisa serão apresentados também em poster, que deverá atender às seguintes especificações: 0,90 m de largura por 1,20 m de altura, em formato vertical e preferencialmente ser impresso em material reciclável.
  • As apresentações orais ocorrerão nas sessões de Comunicações Coordenadas e Discussões Temáticas.
  • As Comunicações Coordenadas (CC) se constituem em sessões com um número determinado de trabalhos. Após as apresentações haverá espaço para perguntas aos apresentadores.
  • Para aprimorar as Discussões Temáticas (DT) e visando atender aos anseios expressos pelos simposiastas nas avaliações dessa atividade, as DT no 9º Simbravisa terão duas características inovadoras:
  1. A duração das DT será ampliada para três horas, ocupando todo o período da manhã da programação nos três dias do evento;
  2. Em cada sala haverá a exposição oral de até seis trabalhos, selecionados por sua relevância, pertinência e por abordar questões significativas ao tema em que foi inscrito. Após as apresentações os coordenadores farão uma breve apreciação do conjunto dos trabalhos aprovados naquela DT e abrirão espaço para um debate com todos os participantes presentes, autores ou interessados no tema.
  • As datas das apresentações orais dos trabalhos aprovados (Comunicações Coordenadas e Discussões Temáticas), bem como os tempos destinados a cada exposição e demais detalhes operacionais serão oportunamente divulgados
  • Todos os trabalhos ao serem apreciados para a seleção poderão contemplar sugestões de seus autores quanto à modalidade preferencial de apresentação, contudo, caberá à Comissão Cientifica a decisão final, de acordo com os critérios de avaliação.


3. DATAS E PRAZOS IMPORTANTES

  • Data limite para inscrição de resumos: 10 de julho de 2023.
  • Divulgação do resultado da avaliação: A partir de 01 de agosto de 2023.
  • Não é necessário efetuar o pagamento da inscrição no momento do cadastramento ou submissão dos resumos. Entretanto, caso o trabalho seja aprovado, para garantir a inclusão na programação do evento, o autor responsável pelo trabalho (autor principal ou coautor que esteja com o trabalho em sua área restrita) deverá realizar o pagamento até o dia 18 de outubro de 2023. Se o autor responsável pelo trabalho não efetuar a inscrição no Simpósio, a responsabilidade pelo trabalho poderá ser transferida para um coautor que esteja com a taxa de inscrição paga e com até 02 trabalhos em sua área, por meio de mensagem para o e-mail trabalhos2023@simbravisa.org.br até o dia 18 de outubro de 2023. Para inclusão do trabalho nos anais, o autor responsável pelo trabalho precisará comparecer ao Simpósio e afixar seu poster no local que estará indicado.


4. TEMÁRIO

01 - Saúde dos trabalhadores e trabalhadoras do SUS

Condições e organização do trabalho, repercussões na saúde dos trabalhadores e trabalhadoras do SUS, especialmente os da Vigilância Sanitária. Observações e percepções de agravos identificados especialmente no período da pandemia de Covid-19.

02 - Intervenções da vigilância sanitária junto a grupos vulneráveis

Ações de vigilância sanitária junto a populações específicas: indígenas, quilombolas, idosos em geral e idosos em Instituições de Longa Permanência (ILPIs), crianças e adolescentes em serviços sociais, imunossuprimidos, população em situação de rua, população privada de liberdade, migrantes, refugiados, comunidades e favelas, residências e comunidades terapêuticas, entre outras.

03 - Informação e desinformação no cotidiano da vigilância sanitária

Situações crescentes enfrentadas pela vigilância sanitária relacionadas a (des)informações – Kit COVID, negacionismo, fakenews, mobilização anti-vacina, entre outras – fontes de informação utilizadas pela vigilância sanitária. Organização do trabalho face ao negacionismo de informações científicas veiculadas por redes sociais digitais.

04 - Redes Sociais e outras Mídias Digitais utilizadas pela vigilância sanitária

Uso das redes sociais e outras mídias pela vigilância sanitária como alternativas de comunicação com a sociedade, tais como entrevistas pela TV ou rádio local, ou regional, inserção de matérias em sites oficiais, criação de novos meios de comunicação com a população. Percepção e observações sobre os efeitos de informações qualificadas para população, trabalhadores do SUS e da vigilância sanitária, especialmente durante a pandemia de COVID 19.

05 - Medidas não farmacológicas na proteção da saúde e suas repercussões na sociedade

Atuação, observação e percepção da vigilância sanitária diante da adoção/rejeição pela sociedade de ações de fiscalização das medidas não farmacológicas propostas ao longo da pandemia de COVID 19. (uso de máscaras, restrição de mobilidade, fechamento/reabertura de estabelecimentos, proibição/liberação de eventos, barreiras sanitárias, entre outras). Conflitos envolvendo direitos individuais versus direitos coletivos.

06 - A atuação da Vigilância Sanitária de Alimentos durante a pandemia

Ações desenvolvidas em razão da necessidade de garantir o acesso da população a alimentos seguros durante a pandemia, compreendendo a produção (industrial, domiciliar), o comércio, os serviços de alimentação, a entrega de alimentos em domicílio (delivery), entre outros.

07 - A atuação da Vigilância Sanitária pós-comercialização (Vigipós) no contexto da pandemia

A atuação da Vigilância Sanitária no monitoramento, análise e investigação de eventos adversos (EA) e queixas técnicas (QT) relacionadas aos produtos utilizados durante a pandemia. O papel da Vigipós na arena das fake-news.

08 - Ações da vigilância sanitária em relação aos Serviços de Saúde

Ações desenvolvidas em razão da necessidade de garantir o acesso e a qualidade da assistência à saúde relacionadas ou não a pandemia de COVID 19 - atenção básica, serviços de urgência, serviços de retaguarda hospitalar, hospitais de Campanha, Unidades de Terapia Intensiva e outros; obstáculos, dificuldades e ou as condições que facilitaram as ações dos serviços de vigilância sanitária.

09 - Ações da vigilância sanitária diante do uso de Kit Covid, Cloroquina, ivermectina e outros produtos

Demandas apresentadas à vigilância sanitária em decorrência do uso divulgado pela mídia e ou autoridades públicas sobre o uso de medicamentos ou outros produtos considerados como “prevenção e tratamento” da COVID 19, mesmo que sem eficácia comprovada; desafios enfrentados pela vigilância sanitária diante da desconsideração de dados científicos, negacionismos e falsas controvérsias.

10 - Atuação da vigilância sanitária diante da vacinação em massa contra a Covid-19

Experiências municipais, loco-regionais, estaduais ou federais sobre a atuação da vigilância sanitária no complexo processo que envolveu e envolve a vacinação em massa contra a COVID 19, no que diz respeito ao armazenamento e distribuição, organização da vacinação, investigação de denúncias e ou outras atividades envolvendo os serviços de saúde, outros órgãos da administração pública e a sociedade.

11 - Elaboração de normas e protocolos

Processo de elaboração específica ou conjunta (inter e intrasetorial) de orientações, protocolos, normas, informes técnicos, diretrizes e comunicações direcionados aos diversos serviços e órgãos públicos ou privados, como Instituições de Longa Permanência (ILPI), instituições de ensino, serviços de saúde, empresas, entre outros, que envolveram e envolvem mudanças dos processos de trabalho, de produção ou das rotinas em função de crises sanitárias com vistas à proteção das pessoas.

12 - Os produtos, sua utilização na pandemia e a atuação da vigilância sanitária

Atuação dos serviços de vigilância sanitária e as respostas frente às demandas sobre novos produtos ou os já existentes e sua utilização no decorrer da pandemia, como por exemplo: máscaras, tapetes, autoteste, câmaras de desinfecção, oxímetros, álcool gel, saneantes, entre outros.

13 - As ações dos laboratórios de saúde pública em articulação com os serviços de vigilância sanitária

Diagnóstico laboratorial realizados pelos laboratórios de Saúde Pública, no sentido de apoiar ações de vigilância relacionadas ou não ao enfrentamento da COVID 19.; ações da vigilância sanitária frente à nova realidade dos Laboratórios de Saúde Pública.

14 - Organização das três esferas do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária

Articulação e cooperação entre as os entes federados do SNVS para a execução de ações de vigilância sanitária. Potências/fortalezas e fragilidades em relação à gestão, tais como os instrumentos/instâncias de pactuação das ações e a efetividade da descentralização e regionalização das ações de vigilância sanitária, atuação conjunta, propostas e arranjos regionais, entre outras, especialmente durante a pandemia.

15 - Uso de sistemas de informação para o planejamento das ações de vigilância sanitária

Ações realizadas/necessárias que demandaram o desenvolvimento, conhecimento e uso de sistemas de informação pela vigilância sanitária – para inclusão, extração e utilização dos dados. Abordagens sobre objetos das ações de vigilância sanitária, sistemas de informação utilizados, dificuldades e êxitos porventura encontrados/alcançados.

16 - Articulação da vigilância sanitária com as demais vigilâncias e instâncias/órgãos do Sistema Único de Saúde.

Realização de ações, especialmente durante a pandemia, que exigiram a articulação da vigilância sanitária com as vigilâncias ambiental, da saúde do trabalhador e epidemiológica e com demais instâncias e níveis de atenção à saúde – atenção primária e especializada – diagnóstico, tratamento, ambulatorial e hospitalar. Podendo compreender uma reflexão sobre os objetos, desafios, fortalezas e institucionalização da atuação conjunta.

17 - Articulação e influência intersetorial e internacional da vigilância sanitária.

Atuações conjuntas realizadas/necessárias, em especial durante a pandemia, em articulação da vigilância sanitária com outras instituições: Ministério Público, Secretaria de Meio Ambiente, Educação, outras secretarias de governo; e outros órgãos internacionais: OMS, agências reguladoras internacionais. Influências de grupos nacionais e internacionais: políticos, empresários, sindicatos, entre outros, na atuação da vigilância sanitária diante das situações trazidas pela pandemia ou não. Atuação da vigilância sanitária em prol de políticas públicas para o fortalecimento do SUS e de mitigação das iniquidades, compreendendo a reflexão sobre os grupos, objetos, políticas, estratégias, desafios, fortalezas e institucionalização da atuação conjunta.

18 - Reformulação de códigos sanitários demandada pela pandemia

Iniciativas para a reformulação dos códigos sanitários vigentes em função de situações que emergiram durante a pandemia. Situações que demandaram as propostas de alteração, mecanismos utilizados para divulgação da reformulação proposta e as etapas de reformulação.

19 - Formação e qualificação dos profissionais de vigilância sanitária para enfrentamento da pandemia

Experiências de formação e capacitação de trabalhadores de vigilância sanitária dirigidas ao desenvolvimento de competências para o desempenho de ações voltadas para o enfrentamento da COVID 19., considerando as metodologias e estratégias educacionais utilizadas no contexto de restrições de mobilidade e isolamento social.

20 - Gestão do trabalho no cotidiano da vigilância sanitária durante a pandemia

Estratégias adotadas para gestão e organização do trabalho, das condições de trabalho e da força de trabalho dos serviços de vigilância sanitária, durante a pandemia, considerando as exigências por adequações na rotina, implantação de novas modalidades de trabalho, manejo das equipes para a proteção dos grupos de riscos – servidores com comorbidades, contactantes, gestantes e outros – diferenças e precarização de vínculos, afastamentos, casos suspeitos, entre outros.

21 - Articulação da vigilância sanitária com as instâncias de controle social

Abordagem sobre a relevância e o papel do controle social para a vigilância sanitária, as situações nas quais a vigilância sanitária foi chamada para participar de atividades promovidas pelo Controle Social, bem como aquelas em que a iniciativa partiu da vigilância sanitária. Situações que demandaram essa iniciativa, dificuldades porventura encontradas e êxitos alcançados.

22 - Pressões e interferências experimentadas na atuação da vigilância sanitária

O trabalho deverá refletir sobre situações vividas pela vigilância sanitária, especialmente na pandemia de COVID 19, que denotem o objetivo de coagir ou constranger os órgãos de vigilância sanitária e/ou o(a) técnico(a) no exercício das suas atribuições antes e/ou durante a pandemia, bem como as estratégias implementadas para dar respostas a estas demandas.

Atenção - SELECIONE UM TEMA

Como já foi informado, os temas apresentados a seguir se destinam à inscrição de Trabalhos Científicos e Relatos de Experiência. Cada tema possui uma ementa e para visualizá-la clique no tema que deseja que ela irá aparecer para você.

A ementa se destina a facilitar a sua inscrição. Lendo-a você poderá identificar o tema que melhor expressa o conteúdo do seu resumo.

Os temas manterão a ênfase na pandemia de COVID 19, eixo transversal que permeia grande parte do 9° SIMBRAVISA.

» 01 - Saúde dos trabalhadores e trabalhadoras do SUS
» 02 - Intervenções da vigilância sanitária junto a grupos vulneráveis
» 03 - Informação e desinformação no cotidiano da vigilância sanitária
» 04 - Redes Sociais e outras Mídias Digitais utilizadas pela vigilância sanitária
» 05 - Medidas não farmacológicas na proteção da saúde e suas repercussões na sociedade
» 06 - A atuação da Vigilância Sanitária de Alimentos durante a pandemia
» 07 - A atuação da Vigilância Sanitária pós-comercialização (Vigipós) no contexto da pandemia
» 08 - Ações da vigilância sanitária em relação aos Serviços de Saúde
» 09 - Ações da vigilância sanitária diante do uso de Kit Covid, Cloroquina, ivermectina e outros produtos
» 10 - Atuação da vigilância sanitária diante da vacinação em massa contra a Covid-19
» 11 - Elaboração de normas e protocolos
» 12 - Os produtos, sua utilização na pandemia e a atuação da vigilância sanitária
» 13 - As ações dos laboratórios de saúde pública em articulação com os serviços de vigilância sanitária
» 14 - Organização das três esferas do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária
» 15 - Uso de sistemas de informação para o planejamento das ações de vigilância sanitária
» 16 - Articulação da vigilância sanitária com as demais vigilâncias e instâncias/órgãos do Sistema Único de Saúde.
» 17 - Articulação e influência intersetorial e internacional da vigilância sanitária.
» 18 - Reformulação de códigos sanitários demandada pela pandemia
» 19 - Formação e qualificação dos profissionais de vigilância sanitária para enfrentamento da pandemia
» 20 - Gestão do trabalho no cotidiano da vigilância sanitária durante a pandemia
» 21 - Articulação da vigilância sanitária com as instâncias de controle social
» 22 - Pressões e interferências experimentadas na atuação da vigilância sanitária
» Atenção - SELECIONE UM TEMA



5. CERTIFICADOS E PUBLICAÇÃO NOS ANAIS

  • Será disponibilizado on line (na área restrita do autor responsável pelo trabalho) apenas um certificado por trabalho aprovado, no qual constarão os nomes de todos os autores e coautores.
  • Certificados de participação serão disponibilizados on line (na aérea restrita) até sete dias após o evento. O participante deverá acessar a sua área restrita, utilizando o seu login e a sua senha.
  • Certificados de apresentação de trabalho nas diferentes modalidades serão disponibilizados on line (na área restrita do autor responsável pelo trabalho), no site do congresso, até sete dias após o evento
  • Os anais serão disponibilizados no site do congresso até 60 dias após a realização do Simpósio.
  • Apenas os trabalhos aprovados, pagos e apresentados durante o Simpósio e com presença do autor responsável pelo trabalho farão parte da publicação.


Realização:




Apoio: